Pages

sábado, 3 de outubro de 2015

Os dez mandamentos para ser um bom prefeito em 2016


A cada eleição municipal, nós, pobres mortais observamos que os candidatos ao executivo municipal, apenas reproduzem a ladainha detectada nas pesquisas de opinião: saúde, educação, transporte, etc... As obviedades de sempre. Infelizmente, a nossa política não produziu massa crítica capaz de ir além. Não há um só candidato preparado para assumir plenamente as suas responsabilidades de prefeito. Na campanha eleitoral, nem sequer são capazes de garantir ao distinto público que vão fazer com que as leis em vigor, que são frouxas, sejam respeitadas.

Temem perder voto. Temem contrariar interesses. No poder, alguns já de olho em 2016 e, em seus projetos políticos pessoais, são permissivos, tolerantes e negligenciam o respeito à população. Pensando nas eleições do ano que vem, depois de analisar fielmente a longa e cientifica pesquisa do “datamap” cheguei à conclusão abaixo elencada sobre os 10 mandamentos para ser um bom prefeito.

1° O bom prefeito é aquele que está a serviço do município, conhece as necessidades da comunidade e resolve seus problemas. Não só administra com dedicação e seriedade, mas também presta contas de seu trabalho. Coloca gente honesta e competente nos cargos de responsabilidade, se possível sem vínculo político.

2° Espera-se dele, fidelidade ao seu povo, expressada no cumprimento de um programa de governo previamente elaborado, capacidade administrativa, liderança política, bom conhecimento dos assuntos da cidade, equilíbrio no enfrentamento de crises, postura de diálogo aliada à capacidade de decisão no tempo oportuno, paciência e disponibilidade para ouvir a população e seus legítimos representantes, tolerância quanto à diversidade de estilo das pessoas com quem trabalha, disponibilidade para ter presença contínua no município, hábito de trabalhar com planejamento e em equipe e coragem de dizer não, quando necessário. Tornando as contas e atos da administração transparentes. 

3° Não realizar e cancelar concursos públicos sob suspeita.

4° Parar de nomear apaniguados para comporem os Conselhos Municipais.

5° Não dar sequência a contratos milionários que são contestados judicialmente ou pelo tribunal de contas, a fim de poupar que o patrimônio do Município seja transferido para particulares.

6° Dar o exemplo pessoal como autoridade do Município, ou seja, não beber a ponto de ficar embriagado, não ser mentiroso, não ser promíscuo, (respeitar a família sob todos os aspectos), não ser desonesto e achar que ninguém vai ficar sabendo dos trambiques, não fazer acertos em detrimento do Município, não pagar veículos de comunicação para se livrar de críticas, “respeitar a família sob todos os aspectos” enfim, que seja um homem de verdade. Que a dignidade seja o caminho escolhido.

7° Dar prioridades para a Educação e a Saúde - Valorizar a figura do professor e Profissionais da Saúde, sobretudo valorizando seu salário. O professor precisa se sentir reconhecido pela administração pública, não se pode cobrar de uma classe trabalhadora se seu salário mal dá para as necessidades básicas do dia-a-dia.

8° Excluir qualquer ato ou atitude que lembre alguma coisa como perseguição política. O prefeito que persegue, maltrata e até mesmo demite, aquele servidor humilde, honesto, simplesmente porque este tem opinião, pensamento diferente da sua. A liberdade de expressão há de ser respeitada dentro daquilo que chamo de respeito mútuo.

9° Um bom prefeito é aquele que é administrador, empreendedor e, buscar soluções para o desemprego é uma meta, não a ser buscada, mais sim executada. Busca permanentemente por parcerias empresariais e todos aqueles que podem e têm capacidade financeira de investir no município.

10° E por ultimo, um bom prefeito não é aquele adorado, idolatrado, e sim aquele respeitado. O bom prefeito é aquele que tem consciência de seu poder perante a opinião do povo; o bom prefeito é aquele que se esforça para ser honesto, o bom prefeito sabe ouvir, observar, para somente então tomar as decisões importantes, há de ser esperto, tanto quanto inteligente, pois é aceitável admitir erros de um bom prefeito, porem, imbelicilidade é inaceitável”. O bom prefeito, principalmente os de cidades pequenas, é aquele que anda sempre sem ao “aspones de plantão”; o bom prefeito é aquele que é bom sem ser populista, o bom prefeito é raro, sua existência incomoda, ou será que ele não existe?

Fonte: A Tribuna

2 comentários:

  1. Um bom prefeito, um prefeito que não visa apenas seus interesses; não existe.

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar!
Continue nos visitando!