Pages

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Ajude o Blog JMarcelo Fotos a comprar uma máquina fotográfica


O Blog JMarcelo Fotos nasceu dia 29 de outubro de 2010, e desde então nunca deixou de ser atualizado, até mesmo nos finais de semanas onde a maioria dos blogs dá uma parada. Esse compromisso com o leitor se reflete no seu acesso diário e já passamos de 750 mil visualizações.

Como sabem, sou o administrador e faço as postagens, fotografo e divulgo nas redes sociais. Para isso, não recebo DINHEIRO para divulgar a cidade de União dos Palmares, e olha que já bati em várias portas sem obter nenhum sucesso, nem por isso parei os trabalhos aqui no blog JMarcelo Fotos.

Mas, como vocês amigos/leitores já perceberam, o número de postagens aqui diminuíram devido a falta de material para se trabalhar como gravador e, principalmente uma máquina fotográfica, já que a minha quebrou. E neste momento não tenho condições de comprar um equipamento novo.

Então,  peço a colaboração de todos, pois este blog é também de vocês e quero continuar com esse trabalho que divulga para o mundo o melhor de União dos Palmares.

Você poder ajudar contribuindo clicando AQUI

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Capacitação para Regentes e Coreógrafos em União dos Palmares

A ABANFAL - Associação de Bandas e Fanfarras de Alagoas estará realizando a 1ª Capacitação de Regentes e Coreógrafos de Alagoas, dias 25 e 26 de outubro na cidade de União dos Palmares.
 
O curso será ministrado pela empresa Eco Turismo Pedagógico, da cidade de Recife, com professores especializados no segmento bandas e fanfarras, e com entrega de certificado no final do curso.
 
A capacitação será na Escola Municipal Dr. Mário Gomes de Barros, no Jardim Brasília, parte alta da área central da cidade. O valor do curso é de R$ 120,00, valor que deverá depositado na Caixa Econômica Federal, ag. 0713 - operação 003 - c/c 1253-0 até 08 dias antes do evento.

Os interessados deverão manter contatos com Nicanor Filho, Presidente da Abanfal pelos telefones 9131.9220 e 8101.5410 e pelo e-mail - nicanor_filho@ig.com.br ou face nicanorfilho.
 
Com essa capacitação a ABANFAL pretende oferecer aos participantes uma formação dinâmica e objetiva, abordando métodos de prática de ensaios, regência, utilização correta dos instrumentos, campo harmônico, ética e cidadania, possibilitando aos regentes aprimorar seus conhecimentos e utilizar de forma favorável no processo ensino-aprendizagem conforme Lei nº 11.769 que considera a música como conteúdo obrigatório em toda Educação Básica.

Justiça do Trabalho condena Grupo Laginha por não recolher FGTS

O Ministério Público do Trabalho em Alagoas recorreu da sentença dada pela 7ª Vara do Trabalho de Maceió, que julgou a Ação Civil Pública (ACP) movida contra a Usina Laginha Agro Industrial S/A, pertencente ao Grupo João Lyra. O acórdão condena o Grupo Laginha a pagar o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) de todos os empregados em conta individualizada e no prazo legal, sob pena de multa diária de R$ 100 até o limite de R$ 1.500 por empregado lesado.

Com o ajuizamento da ação, o MPT requereu o cumprimento da lei, ou seja, que o grupo deposite até o dia sete de cada mês, na conta vinculada de cada empregado, a importância de 8% da remuneração paga ou devida no mês anterior, incluindo na remuneração as parcelas relacionadas à gratificação natalina e terço de férias.

O MPT considera válido o valor pedido como indenização porque está destinado a coibir a procrastinação da ilegalidade e reincidência na prática de irregularidades trabalhistas, como forma de compensar a sociedade pelos danos sofridos.

Sentença em 1º Grau

Os desembargadores do Tribunal Regional do Trabalho da 19ª Região acataram, parcialmente, o recurso interposto pelo MPT ao Grupo João Lyra e fixaram - além da indenização em R$ 1 milhão a ser revertida ao Fundo de Amparo ao Trabalhador - multa por descumprimento das obrigações em R$ 100 por dia, até o limite de R$ 1.500 por trabalhador prejudicado que estiver vinculado a alguma das empresas reclamadas.

O caso

Em 2013 o Ministério Público do Trabalho em Alagoas ajuizou Ação Civil Pública na Justiça do Trabalho contra a Usina Laginha e todas as filiais pertencentes ao grupo do empresário João Lyra, por violação a direitos trabalhistas de seus empregados, como o não pagamento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). 

Além da ação contra as empresas do grupo, o Ministério Público do Trabalho realizou algumas audiências de mediação. No entanto, inúmeras vezes o Grupo JL não acatou as decisões judiciais e nem cumpriu com acordos firmados com o MPT.

Em uma das audiências realizadas este ano na sede do MPT em Alagoas, representantes do grupo empresarial se comprometeram a quitar débitos trabalhistas dos empregados do corte da cana, referentes aos salários atrasados da segunda quinzena de dezembro de 2013. À época, os atrasos salariais resultaram em várias mobilizações dos empregados das empresas, que promoveram protestos e bloqueios em algumas rodovias do estado.

Segundo investigações do MPT, há muitos anos as Usinas pertencentes ao empresário vêm deixando de recolher o FGTS na conta vinculada dos funcionários, o que causa prejuízo à eficácia da ordem social e ao funcionamento de projetos de interesse social, como habitação, obras de saneamento e ao próprio trabalhador que fica sem o seguro desemprego. Nos últimos cinco anos, o grupo acumulou uma dívida de FGTS que ultrapassa os R$ 45 milhões.

Fonte: MPT

Quem são?

terça-feira, 16 de setembro de 2014

5 Ideias para motivar seus alunos definitivamente

Após ler essas dicas você saberá como motivar seus alunos.
Está cada vez mais difícil manter os alunos motivados em sala de aula, mas está lista com 5 ideais podem resolver o problema nas suas turmas. Agora você poderá transformar sua sala de aula num ambiente mais participativo e interessante como sempre quis.

1. Seja compreendido e tenha certeza disso:
 
Pesquisas revelaram que alunos fazem mal ou não fazem suas atividades ou participações pelo simples fato de que eles não entendem o que devem fazer ou porque eles estão fazendo a atividade. Os professores precisam explicar mais vezes o motivo pelo qual ensinam o que ensinam e fazem o que fazem e o motivo pelo qual isso é interessante e vale a pena. Seu entusiasmo deve ser transmitido aos alunos, que estarão mais propensos a se interessar. Explique aos alunos o que vocês esperam dos trabalhos ou atividades que solicitarem.
 
É impossível ter sucesso no que não se sabe o que fazer.
 
Durante suas aulas os alunos vão falar "Quando é que vamos usar isso? Isso é bobagem". Para amenizar os professores podem responder: "Realmente nós nunca sabemos quando o conhecimento e as nossas habilidades serão úteis pode ser amanhã ou daqui a 2 anos" ou "Vocês vão usar no dia da prova então aprendam porque essa matéria também reprova", você pode explicar como é ruim repetir de ano, pois vai rever todo aquele material "inútil" novamente enquanto os outros colegas estão indo para Universidade.

(Uma pesquisa realizada num campus universitário nos EUA mostrou que um membro do corpo docente deu uma atribuição dos estudantes para um grupo de colegas para análise. Poucos deles entenderam o que o professor queria, ou seja, se professores experientes estão confusos, como vocês vão esperar que os alunos entendam?)

2. Você gosta de ser recompensado pelo que faz?
 
Se seus alunos não são motivados para aprender você pode ajudá-los com motivadores, sob a forma de recompensas. Caia na real os alunos não estão mais preocupados com o que os professores acham deles e muito menos o que dizem sobre eles e tão pouco querem ser que nem você. E atualmente se você pegar pesado corre o risco de levar uns tapas. Não perca tempo criticando o comportamento ou respostas indesejadas, mas recompense o comportamento correto e respostas. Não precisa avisar das recompensas, vá e recompense. Você sabe que adultos e crianças continuam a repetir o comportamento que é recompensado, pois ninguém é tonto. As recompensas podem (e devem) ser pequenas e adaptadas para o nível dos alunos e o nível da escola. Para crianças você pode dar um chiclete sem açúcar (por favor) ou um conjunto de lápis de cor.
 
No nível superior isso também é possível você pode dar livros, almoços, ou aquele velho bom elogio verbal na sala de aula para que todos ouçam e assim por diante.
 
Todos gostam da sensação de realização, ser útil e reconhecimento.
 
Recompensar pelo bom trabalho produz bons sentimentos.

3. Seja um ser humano exemplar.
 
Professores que parecem seres humanos agradáveis e carinhosos servem de exemplo. Claro que gente ruim tem no mundo e talvez você nunca consiga fazer isso. Fale da sua vida e das suas dificuldades para os alunos, principalmente pequenas histórias de problemas e erros que cometeu, seja quando criança ou semana passada. Isso ajuda na relação do aluno/professor e ajuda os alunos a ver os professores como amigos acessíveis e não como autoridades distantes.
 
Mostre sempre que possível que você se preocupa com seus alunos, perguntando sobre o que gosta de fazer e dos seus objetivos quanto ao futuro.
 
Não tenha dúvida que você será confiável e mais respeitado do que professores (deuses).

Se Liga Professor! Entenda sua profissão como qualquer outra e que você está ali para compartilhar conhecimento e informação com outras pessoas (alunos). Desça do salto que você não tem.

4. Faça o aluno fazer.
 
Você só motiva alguém fazendo ela se mover. Se tem dúvida procure agora uma palestra de motivação na internet. Você acha que eles gostam de estar na sala de aula na frente deles dando palestras para eles mesmos? Isso é pobreza de ensino (pelo menos na minha opinião). Envolva seus alunos em atividades de resolução de problemas, ajudando a decidir o que fazer e a melhor maneira de fazê-lo. Se tem uma lição sobre a natureza, por exemplo, é bem mais eficaz ir para rua do que ficar vendo fotos em livros.
 
Pegue problemas reais como aquele lago da sua cidade que está sujo ou qualquer parte da sua cidade que esteja imunda e encontrem soluções para o problema em países que tiveram o mesmo problema e conseguiram de fato resolvê-lo. Ok, acharam a solução? Vá na prefeitura e peça explicações do responsável e leve as possíveis soluções também. Se for necessário uma reunião, então agende e vá com seus alunos.

Os alunos gostam de ser úteis (assim como os adultos!).

5. Use emoções positivas. 
 
Isso ajuda a melhorar a aprendizagem e motivação. As pessoas se lembram mais daquilo que é acompanhado de fortes emoções, ou seja, aproveite isso na escola. Tente fazer algo divertido, emocionante, feliz, triste, amorosa ou talvez até mesmo assustadora, os alunos aprendem mais facilmente e a aprendizagem vai durar muito mais tempo.

Não tenha vergonha de entrar com uma cueca enrolada na cabeça em sala de aula e após as risada fazer um belo discurso sobre a evolução e desenvolvimento da humanidade.
 
Não tenha medo de envergonhar-se para fazer um ponto memorável na sua sala de aula.
 

Vamos pedalar?


Batista Lima em União dos Palmares


segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Professor Edvaldo faz campanha em União dos Palmares

Local foi símbolo da luta pela liberdade dos escravos por mais de um século e atualmente é mantido e preservado pelo Iphan

Durante o fim de semana, o Professor Edvaldo (PCdoB), candidato a Deputado Estadual, continuou sua campanha pelo Estado. No sábado (13), Edvaldo esteve na cidade de União dos Palmares, em uma atividade acompanhada pelo reitor Jairo Campos e por militantes da UJS, onde teve a oportunidade conhecer a artesã Irinéia, um ícone na arte do barro moldado à mão.

Para o Professor foi uma grande alegria estar em contato com a artesã, o que o fez ressaltar a suas propostas em defesa da cultura alagoana. “O nosso Estado possui uma imensa riqueza cultural que deve ser divulgada e, sobretudo, preservada, para que sirva como um instrumento de propagação da nossa história e das nossas raízes”, frisou.

Em União o grupo visitou ainda a Serra da Barriga, que faz parte do Parque Memorial Quilombo dos Palmares. O local foi símbolo da luta pela liberdade dos escravos por mais de um século e atualmente é mantido e preservado pelo Iphan. “O Quilombo dos Palmares faz parte não somente da história de Alagoas, mas do Brasil. É um lugar que representa a história de um povo que enfrentou e resistiu a inúmeras batalhas que tinham como foco a liberdade e tem uma importância imensurável para os alagoanos e o povo brasileiro”.

À noite, a agenda do Professor Edvaldo foi encerrada no bairro Clima Bom, em Maceió, numa reunião com lideranças da comunidade. Edvaldo apresentou as propostas nas mais diversas áreas ao ocupar uma cadeira na Casa de Tavares Bastos. No domingo (14), as atividades na capital continuaram e foram marcadas por visitas e reuniões.

Fonte: Tribuna do Sertão

Enchente 2010: Denúncias mostram desvio de verbas

Em Alagoas: União dos Palmares, Rio Largo e Santana do Mundaú 

Em 2010, uma enchente terrível devastou muitas cidades do interior de Alagoas e de Pernambuco. Uma situação dramática, que a imprensa mostrou para todo o mundo. Milhões em dinheiro público foram enviados para reconstruir esses lugares.

Quatro anos depois, a reportagem da revista eletrônica Fantástico (TV Globo), exibida neste domingo (14), mostrou postos de saúde que não atendem ninguém, escolas caindo aos pedaços e verbas que saíam da prefeitura, para pagar serviços que jamais foram feitos.

Junho de 2010, Alagoas. “A água toma conta do centro da cidade. A população entra em pânico”, disse um morador na época.

Alagoas, hoje, quatro anos depois. Um posto de saúde foi construído justamente para atender as famílias das vítimas da enchente. Mas o posto está com portas quebradas e pedaços de madeira espalhados pelo corredor, em uma situação de abandono.

São obras atrasadas. Além de desperdício e desvio de dinheiro público que afetam a vida de famílias inteiras. Gente que primeiro tinha sido vítima da natureza. Depois, chegaram R$ 3,5 bilhões para educação, saúde para reconstruir as cidades.

Mas... Fiação elétrica exposta e mais buraco no teto. E é assim que os alunos estudam aqui em uma das escolas destruídas na cidade de Palmares.

A enchente de 2010 no Rio Mundaú atingiu 19 cidades alagoanas e 68 de Pernambuco. Quase 100 mil pessoas ficaram desabrigadas, 45 morreram. O Fantástico voltou nas cidades que visitou há quatro anos, para ver que fim levou o dinheiro da reconstrução.

Em Santana do Mundaú, Alagoas, existem 11 mil habitantes. Mais de 700 crianças estudam na beira do rio que transbordou em 2010. É uma área de risco, condenada pela Defesa Civil. Os alunos não deveriam estar no local.

Mas veja só o que aconteceu. Fotos mostraram um colégio novo, pronto para receber os estudantes. Mas de uma hora para outra, a escola caiu.
“A construtora já assumiu o erro, o equívoco que teve na falta de estudo de solo, já notificamos e isso não vai ter nenhum custo para o estado”, disse o coordenador do Programa de Reconstrução de AL, Herbert Motta.

Quatro anos depois da tragédia em Alagoas, das 55 escolas destruídas pela cheia, 14 ainda não foram entregues pelo Governo de Alagoas.
Segundo secretário de Estado do Trabalho, Emprego e Qualificação Profissional, Herbert Motta, justificou que houve várias dificuldades não só climáticas como de terreno. "E o compromisso do governo é que a gente entregue, feche esse ano, entregando 100 % dessas unidades", disse.

Dinheiro para escola existe, mas a obra ainda não começou

O colégio fica em Rio Largo, 75 mil habitantes. O Fantástico chegou no horário das aulas. “Nós temos 722 alunos”, diz a diretora de uma das escolas, Luciene dos Santos.
Fantástico: 722? Só um banheiro?
Luciene: Só um banheiro.
Fantástico: Merenda é servida ao lado do banheiro?
Luciene: Do lado do banheiro.
Fantástico: Cheio de buraco no telhado. Quer dizer que quando chove então?
Luciene: Alaga tudo.

Unidade de saúde que custou R$ 500 mil está abandonada

A construção da nova escola ficou parada por vários meses. Segundo o prefeito de Rio Largo, Toninho Lins (PSB), o motivo foi uma crise política. Crise que envolve o próprio prefeito. Acusado de irregularidades, como improbidade administrativa e formação de quadrilha, ele chegou a ser preso em 2012 e passou um ano e meio afastado da prefeitura. E na saúde, mais problemas e dinheiro jogado fora. Uma unidade está abandonada, no meio do mato. E sabe quanto custou? Quase R$ 500 mil.

Um outro Posto de Saúde era para atender os moradores de Rio Largo, depois da enchente de 2010. Foi até inaugurado, mas nunca recebeu um paciente. Móveis e equipamentos foram roubados.

“A gente já está em contato com a Secretaria de Estado de Saúde para que a gente possa, verdadeiramente, refazer o que tem que fazer e entregar para comunidade”, falou o prefeito de Rio Largo, Toninho Lins.

Em Rio Largo, outro problema são ônibus escolares novinhos, que foram enviados pelo Governo Federal, em janeiro. Só que até agora são pelo menos sete ônibus parados, estacionados, que deveriam estar levando os estudantes para as escolas mas eles estão parados. O motivo, segundo o prefeito, é que os ônibus não têm seguro. “Nós estamos fazendo essa licitação que demanda de uma série de tempo para que a gente possa colocar efetivamente esses ônibus para rodar”, afirmou o prefeito de Rio Largo.

Enquanto os novos não circulam, a prefeitura gasta mais de R$ 100 mil por mês com o aluguel de ônibus particulares.

“Havendo esses dois gastos de dinheiro público, inclusive envolvendo verbas federais, no caso da aquisição dos ônibus com certeza está havendo um dano ao erário e um ato de improbidade administrativa”, destaca o procurador da República Leandro Mitidieri.

MP sabe que famílias que moram em casas populares não foram vítimas da enchente

A reportagem foi até União dos Palmares, cidade alagoana com 62 mil habitantes. Foi nessa cidade que a água destruiu o maior número de casas em 2010: quase cinco mil.

Seu João e Dona Teresa perderam tudo e moram hoje no que sobrou da casa deles. O local está condenado pela Defesa Civil. O casal quer sair e tem direito a uma casa nova no conjunto habitacional construído para as vítimas da enchente.

Fantástico: Eles falam o quê?

João da Silva, desempregado: Tenha paciência. O seu cadastro está correto.

Fantástico: O senhor quer o que é do senhor...

João da Silva: Eu quero o que é meu.

Por que será então que o Seu João e a Dona Teresa não se mudam?
Em um dos novos conjuntos de União dos Palmares, muitas casas estão vazias, outras foram invadidas e algumas estão abandonadas. Mais dinheiro público jogado no lixo.

Uma das casas está completamente abandonada. Roubaram as janelas, as portas. Não tem nada dentro do local.

O Ministério Público já sabe que muitas famílias que moram nas casas populares em União dos Palmares e em outras cidades não foram vítimas da enchente.

E como o cadastro é de responsabilidade das prefeituras, a suspeita é que alguns imóveis foram liberados em troca de votos.

Prefeitura de União dos Palmares teria usado notas fiscais suspeitas

E foi em União dos Palmares que o Fantástico encontrou a denúncia mais grave de corrupção: políticos são acusados de fazer uma farra com o dinheiro público. A prefeitura teria pago por serviços que nunca foram realizados. E para tentar legalizar a fraude, usou notas fiscais bem suspeitas.

“Mil e duzentas notas fazem parte desse esquema de corrupção. O desvio chega a R$ 10 milhões no ano de 2013”, diz o relator da Comissão de Inquérito, vereador Paulo César Oliveira, do PMN.

Em uma das notas fiscais, aparece o pagamento de R$ 2,5 mil para a construção de 10 banheiros na escola Manoel Rosa da Paz. O Fantástico foi até lá.

Fantástico: Esses 10 não existem?

José Cizinho, diretor da escola: Não. Banheiro que existe, que foi construído pelo município, são esses aqui.

Fantástico: Só?

José Cizinho: Só.

Fantástico: Foram construídos em 2012, junto com a escola.
José Cizinho: Aqui faltam 10 banheiros.

O Fantástico procurou o prefeito de União dos Palmares.

“São 10 banheiros ou 10 chuveiros?”, pergunta o prefeito de União dos Palmares, Carlos Alberto Baia.

Fantástico: Não, 10 banheiros.

Prefeito: Dez banheiros, né? Será investigado, será apurado e o responsável será responsabilizado.

Pagamentos de serviços nunca executados

Também há outros pagamentos suspeitos, de serviços nunca executados. Como a construção de sala de aula, instalação de aparelhos de ar-condicionado e transporte de alunos e professores.

Fantástico: Teve instalação de ar condicionado aqui na escola?

Funcionária: Não.

E como explicar uma nota fiscal de R$ 2.5 mil? Entre as despesas da prefeitura, aparece o pagamento de um reboque de caminhão usado para transportar cana. Na nota fiscal, consta que esse reboque foi usado em duas viagens para levar alunos de União dos Palmares até Recife, um trajeto de 225 quilômetros.

A Câmara criou uma CPI para apurar o caso. Entre os investigados, está este homem, pai de um vereador da cidade. O nome dele aparece em várias notas e com prestação de serviços diferentes. Em uma de R$ 2 mil, ele teria transportado professores a um evento. O Fantástico checou a placa do veículo e descobriu que é de uma moto.

Fantástico: Queria saber se o senhor tem uma moto, prestou serviço para prefeitura?

“Isso foi um erro de digitação mais nada a declarar”, diz o comerciante Carlos Alberto Basilo.

Fantástico: O senhor recebeu quanto por isso, para transportar?

Comerciante: Eu nem lembro que isso foi direto para conta. Eu não sei. Não estou bem a par do valor não.

Fantástico: É dinheiro público, o senhor não acha que deveria dar satisfação disso?

Comerciante: Sim. Exatamente. Na hora que precisar de esclarecimento, vai ser dado.

Erro de digitação? O Fantástico investigou outras notas. Pela placa, localizamos um carro. No papel, ele teria sido usado para transportar professores, em 2013, por R$ 2 mil. A dona do carro diz que não é nada disso. Ela mora em Ibirité, Minas Gerais, a mais de 1.8 mil quilômetros de União dos Palmares.

“Nessa data aí, 2013, setembro, ele já estava na agência para vender. Nunca saiu de lá, não. Eu acho uma safadeza muito grande, muito grande mesmo”, afirma a funcionária pública Leila Barbosa.

Prefeito alega que tudo não passou de erro de digitação

O Fantástico também conferiu uma nota de R$ 3,5 mil, novamente para transportar professores. E encontramos mais uma moto. Agora, em Maranguape, no Ceará, a quase 900 quilômetros de distância.

“Nunca emprestei essa moto para sair do município também pior ainda. Nunca, nunca, nunca. Ela nunca saiu daqui, de Maranguape”, diz a professora Marilúcia de Andrade.

O secretário de Educação foi afastado. O prefeito de União dos Palmares alega que tudo não passou mesmo de erro de digitação na hora de emitir as notas.

Fantástico: Errar dezenas de notas, o senhor não acha estranho?

Prefeito: O inquérito administrativo que nós estamos fazendo vai apurar isso ai e ver quem é o responsável por esse desmando.

Fantástico: E o senhor não sabia de nada?

Prefeito: Não sabia.

Fantástico: Mas o senhor não se sente constrangido de não saber de nada?

Prefeito: Muito, muito, muito constrangido.

Enquanto isso, em União dos Palmares, uma escola está sem água desde o início do ano. O motivo: a falta de um equipamento simples para bombear água do açude. E na cidade, alunos vão para aula em paus de arara. Os caminhões não têm nenhuma segurança.

Jovem diz como se sente ao ir para escola de pau de arara

Fantástico: Os alunos vão continuar de pau de arara?

Prefeito: Até a gente ter uma estrada vicinal que dê condição de um ônibus transitar.

Quatro anos depois de passar por uma grande calamidade - vivendo hoje em meio a obras atrasadas, denúncias de corrupção e tendo que ir para escola de pau de arara - um jovem diz como se sente: “Rapaz, o cara se sente um pouco meio inferior aos outros, porque têm uns que vêm no conforto enquanto nós estamos vindo no caminhão”, destaca o estudante Jerônimo Marques.

Fonte: Tribuna União

"Saudade da minha cidade natal" Dina Gabriel

"Esse é o preço que pagamos quando precisamos estar muito a distância do nosso lugar, lugar esse, onde nascemos crescemos e fizemos amigos, hoje quando olho para traz e vejo quantas coisas deixei de viver, mas a vida também nos oferece desafios, desafios esses, que muitas vezes fazemos questão que eles sejam compridos, pois ser paramos a nossa trajetória, não teremos história para ser compartilhada, historias que muitas vezes é dolorosa, mas não deixa der ser bonita e cheia de conhecimento, tudo nessa vida é assim, têm seus pontos positivos e negativos, o bom de tudo isso é que hoje eu tenho uma história, e uma história de superação: pois não é fácil olha para trás e ver que deixei família e amigos, pessoas essas que tenho muita saudade, muitas dessas ainda tenho oportunidade de rever, e aqueles que já ser foram e deixaram uma eterna saudade em nosso coração, saudade essa que dói, dói muito. Esse é o preço que pagamos !!!" 

Depoimento de Dina Gabriel para o blog