Pages

sábado, 13 de fevereiro de 2016

Geladeira personalizada pelo artista palmarino Josenildo Lopes



 Leia abaixo reportagem com o artistas em Março de 2012.

"A arte se renova e não para" Josenildo Lopes da Silva

Quem passa pela Av. João Lyra em frente o posto Vergetão se depara com mais um artista que vive em União dos Palmares. O pintor Josenildo Lopes da Silva tem habilidade com os desenhos desde a época em que era estudante e começou fazendo faixas aos 14 anos de idade.

Josenildo disse ao blog que a paixão pela arte fez com que ele começasse cedo na casa de seus pais a fazer trabalhos com a pintura, mesmo não tendo influência de alguém.


De uma família pernambucana, mas natural de Mato Grosso, ele veio com a família para União aos 7 anos de vida. Mesmo começando cedo como letreiro, Josenildo Lopes só tem 6 anos de profissão. Bom tempo da sua vida ele passou em São Paulo, onde trabalhou como metalúrgico.


O artista plástico mantém no seu ateliê três quadros que podem ser admirados pelos que passam no local. Josenildo disse que mesmo sendo letreiro e grafiteiro é com as telas que ele se realiza. Nesses anos já pintou 15 telas. Ele diz que se a saída dos quadros fosse maior o ritmo de trabalho aumentaria.


O letreiro disse que trabalha mais com as faixas que faz para o comércio. Josenildo diz que muitos clientes preferem fazer fazer faixas por causa do preço baixo de cada uma.


Aos 37 anos e pai de dois filhos, o grafiteiro disse que fica feliz quando recebe elogios sobre suas artes espalhadas pela cidade, algumas dessas obras estão Bar do Português, ponto e Associação de mototáxis e etc.


Josenildo Lopes diz que sua inspiração vem da natureza e do dia a dia, as imagens aparecem na sua mente e dali elas tomam formas nas telas, nas paredes e faixas.

Click para ver maior

Campanha para jornalistas é hoje

Com o intuito de arrecadar recursos financeiros para os tratamentos de dois jornalistas que sofrem com doenças degenerativas Carlos Miranda e Olívia de Cássia, será realizado o Bazar da Solidariedade, no dia 13 de fevereiro, no Ginásio do Sesc Poço.

Olívia de Cássia é natural de União dos Palmares, atuou no jornal Gazeta de Alagoas e atualmente trabalha no Jornal Tribuna Independente.

Carlos Miranda é mineiro, da cidade de Caratinga, mas reside em Maceió há mais de 20 anos. Trabalhou em algumas rádios em Alagoas, entre elas a Rádio Gazeta, Difusora, CBN e Rádio Correio.


Fonte: Aqui Acontece

A Imagem do Sábado


sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Fotos de Pe. Donald Robert Macgillivray

                            
Querida família de Santa Maria Madalena, este é um vídeo com memórias do nosso querido Pe. Donald Robert Macgillivray, que tanto fez em nossa comunidade. 

Vídeo que nos foi presenteado por sua sobrinha Maxine Macgillivray.

Assista e compartilhe!

Saudades do Nosso Don!!

Texto de Maxine:
Here is the link to my film about my uncle Padre Donald Macgillivray. Please pass it on. Enjoy. A gift to you all for Valentines Day. My uncle radiated love. There are many who miss him.

Tradução:
Aqui está o link para o meu filme sobre o meu tio Padre Donald Macgillivray. Por favor, passem-no. Aproveite. Um presente para todos vocês para o dia dos namorados. O meu tio irradiava amor. Há muitos que saudades dele.


Pe. Donald Robert Macgillivray ao lado do casal Valdemar Peixoto e Adelice Gomes já falecidos. 

Mapa das Comunidades Quilombolas de Alagoas

  Mapa das comunidades Quilombolas de Alagoas. Ano: 2011. Imagem em tamanho maior: acesse aqui!
 
Mapeamento realizado por técnicos do Instituto de Terra e Reforma Agrária de Alagoas, sob a coordenação da Gerente de Núcleo dos Quilombolas do Estado, Berenita Maria dos Santos.

Fonte: Instituto de Terras e Reforma Agrária de Alagoas (Iteral).

Entrevista com o Professor Reinaldo Sousa para TV MAR




“Nossas políticas de reforma agrária são pacotes prontos que não permitem que o camponês decida o que fazer, o quanto fazer e como fazer. Pra gente isso não é reforma agrária ...”
Oportunas questões debatidas pelo amigo Reinaldo Sousa 

Por Fernando Silva

Leia também

"Me Revolta Ser Professor" Reinaldo Sousa  AQUI

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Placa que celebra a memória de Abdias Nascimento volta ao lugar de origem


Em 13 de novembro de 2011, em uma cerimônia singular, coordenada nacionalmente pelo Instituto Raízes de Áfricas e o IPEAFRO/RJ, as cinzas do  jornalista, ativista, ex-deputado estadual e federal Abdias Nascimento, foram depositadas  em um local  próximo à Lagoa dos Negros, na Serra da Barriga em União dos Palmares, Alagoas. Espaço que, hoje,  leva o nome do ativista.

O  ato  que reuniu cerca de mil pessoas de vários estados do Brasil, países de Áfricas e Estados Unidos é  de  relevante importância para a histografia negra do Brasil e Alagoas. 

Na cerimônia de deposição das cinzas  foi plantada uma muda de Baobá, árvore sagrada  africana e uma muda de gameleira branca, considerada sagrada pela militância do movimento.

Ao lado do Baobá foi colocada uma placa em mármore, que celebra a memória de Abdias Nascimento.

A placa ( doação do Instituto Raízes de Áfricas) havia sido retirada pela gestão da Fundação Palmares, da época, explicando da necessidade de cimentação da mesma, e nunca mais voltou para o lugar.  E nos últimos a coordenadora do  Instituto Raízes de Áfricas, Arísia Barros,  vem, insistentemente, cobrado a todas às gestões do escritório da Fundação Palmares, em Alagoas, o paradeiro e a devida  cimentação da placa.

E no sábado, 30/01/16 ( quase cinco anos após), quando de uma  visita de um grupo liderado pelo Instituto Raízes de Áfricas, á Serra da Barriga, a atual gestora do escritório da FCP, em Alagoas, Elida Miranda, ao  envidar esforços para atendimento a demanda , localizou a placa, que estava “guardada” no prédio onde funciona  a guarda florestal do Parque Memorial Quilombo dos Palmares.

Após  apresentação da mesma, a gestora pública assegurou que o marco demarcatório  que celebra a memória de Abdias Nascimento voltará ao lugar de origem.

Abdias Nascimento teve sua vida marcada pela luta no combate ao racismo e pela implantação de políticas públicas para a inclusão do povo preto.

E que o Estado de Alagoas e a Fundação Cultural Palmares valorize sua história.

Leia também:

"O Velho Abdias Nascimento Não Morreu, Desencarnou e, Segundo a Sua Própria Crença, Renascerá"   Martinho da Vila

Terminou sua missão na Terra o negro intelectual que teve seu nome na lista de candidatos ao Prêmio Nobel da Paz. Foi ator, pintor, escultor, poeta e autor de várias obras literárias. No campo político ocupou posições importantes. Um dos fundadores do PDT, com Leonel Brizola, elegeu-se deputado federal. Dedicou grande parte da sua vida à luta contra o preconceito racial e no Congresso Nacional proferia discursos contundentes: “Enquanto não houver igualdade, sobretudo nos meios de comunicação e na educação, e enquanto a voz das instituições que apresentam uma outra versão da filosofia que nos foi imposta não tiverem eco, o Brasil não tem o direito de declarar-se uma nação democrática! De maneira nenhuma!”

“A comunidade negra tem que ser fiel a si mesma, fiel aos seus antepassados, fiel à história de nossas lutas (...) por seus direitos. É preciso dar continuidade à grande luta de Zumbi dos Palmares. O direito está a nosso favor. Os orixás estão nos prestigiando e nos amparando. É nossa beleza. É nosso futuro.”

Foi suplente do senador Darcy Ribeiro e, quando este foi deslocado para a Secretaria de Cultura do Rio, assumiu a função e assim tornou-se o primeiro negro Senador da República. Como eloquente tribuno, manteve o mesmo ímpeto: “Quando eu era deputado federal e falava em políticas públicas para atenuar a desigualdade racial no Brasil, só faltaram me enjaular.”

Questionado por um companheiro sobre as ações afirmativas, disse ser favorável a adoção das cotas para negros, inclusive no governo, e falou sobre as antigas dificuldades de sua militância: “Não era como agora, que temos tantas portas abertas. O momento atual é fruto dessa luta constante. Hoje em dia, acredito que o negro só não atinge tudo o que ele quiser se não for capaz de organizar-se e lutar por seus objetivos.”

O velho Abdias Nascimento não morreu, desencarnou e, segundo a sua própria crença, renascerá. Em Angola, quando nasce um menino ou menina, reza-se em cantorias para que a criança consiga vingar, visto que o índice de mortalidade infantil lá é muito grande. Se alguém ‘desconseguiu’ ainda jovem (isto mesmo, é assim que falam de alguém que não conseguiu sobreviver), apenas lamenta-se e chora-se. Quando o morto é adulto, os amigos fazem um comba, isto é, cantam e batucam para afastar a tristeza. Quanto mais velho e importante o falecido, maior o comba. De acordo com a importância, há combas de três dias, sete e até 21. Se o carioca nascido em Franca-SP Abdias Nascimento tivesse nascido em Luanda, seu comba provavelmente iria até 25 de junho. Teria um comba de mês.

Site O Dia

Não consigo entender... Olívia de Cássia jornalista

Não consigo entender alguns apelos ao atraso que pessoas ditas religiosas fazem invocando a Bíblia. Às vezes o estranho comportamento vem de pessoas ditas letradas, que se deixam engabelar por conversas de aproveitadores e enganadores que usam a religião para alienar ainda mais gente que já não gosta de ler e de se informar e para se locupletarem.

 Venho me perguntando até quando essa gente vai levar esse comportamento? Será que apostam na desinformação eterna das pessoas? Opinião sem conhecimento de causa, não é muito legal, pois a gente corre o risco de ‘pecar’ por falta de aparato teórico.

As religiões às vezes alienam as pessoas de forma que elas ficam, parece-me que com a mente embotada; embora eu respeite a opinião de quem pensa diferente de mim, apesar de tudo. Parece-me um tanto quanto precipitada e alienante, fazer comparações que não têm fundamento, só porque um sujeito desinformado e ‘doido’ falou isso ou aquilo.

Não devemos misturar as coisas. Existe um quesito chamado informação, e quanto mais a gente procura se inteirar dos fatos, menos falhas a gente comete nas nossas avaliações.

Segundo um texto que vi postado na internet, “um dos maiores perigos que envolve a liberdade religiosa não está exposto nas vitrines das lojas de armamento, nem nas lojas de bíblias e nem tampouco nas rodas de debate científico: está na mente de pessoas cujo poder de argumentação poderoso fomenta outros ao fundamentalismo religioso”.

O exemplo que aprendi com a religiosidade do meu pai e com o que li na Bíblia, quando jovem, vai de encontro a muita coisa que é colocada hoje e que me causa arrepio de ver tanta gente alienada, apesar de jovem.

Nunca fui muito de aceitar as coisas que me eram impostas e ainda hoje, apesar de ser mais tolerante, não consigo assimilar ideias atrasadas que se propaga em nome da religião. Nasci de uma família católica, mas nem por isso desrespeito a religião alheia, mas há que se considerar que existem pessoas que professam uma crença e querem impor sua filosofia de vida pra gente.

Não gosto disso e abomino algumas práticas nessa direção. Tenho minhas convicções; minha formação e não abro mão delas por nenhuma outra filosofia;  respeito muito quem pensa diferente, só acho que as pessoas deveriam ler mais e tentar se aprofundar em alguns assuntos, deixar de acreditar em lendas que são propagadas como verdades absolutas.

Não existe uma verdade única, várias vezes já fiz essa avaliação. Cada pessoa tem a sua verdade e deve respeitar a do outro. Também posso estar errada na minha avaliação, mas quero ter o direito de dizer o que penso. Só isso.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Arcebispo Dom Antônio Muniz cria mais uma Paróquia em União dos Palmares

Padre Carlos será o administrador da nova paróquia de Santa Luzia que atenderá os bairros Robertão, Santa Fé, Mutirão, Boa Esperança e Newton Pereira.

Portanto, União dos Palmares terá a partir dessa quarta feira, duas paróquias, a de Santa Maria Madalena com o Padre Crerinaldo e a de Santa Luzia com o Padre Carlos.


Seja bem vindo a União dos Palmares Padre Carlos!


Descubra como cumprir as suas metas fitness no novo ano

O início da manhã e o final da tarde são os melhores horários para praticar exercícios

Com o ano que acabou, é bem provável que você também tenha deixado para trás muitas promessas – inclusive aquela de que iria voltar ou começar a fazer alguma atividade física. A boa notícia é que sempre existe um novo ano para recomeçar e redefinir as suas metas fitness.

Afinal, o verão é a melhor estação para começar uma atividade, procurando sempre horários com temperaturas mais amenas, de preferência no início da manhã ou no final da tarde. Se você não gosta do calor, há ainda as academias climatizadas. O mais importante é buscar algo que dê prazer.

Como definir as metas fitness
As metas devem ser específicas e realistas, que você realmente possa cumprir. Para quem está há algum tempo sem fazer atividades físicas, a dica da personal trainer Melissa Cruz é não amontoar metas fitness, mas escolher uma ou duas e começar agora mesmo. Para não perder tempo, confira outras 4 dicas que podem ajudar:

Comece logo, sem desculpas
Comece amanhã, já! Não espere a segunda-feira ou o carnaval passar para depois colocar os seus objetivos em prática. Mantenha o foco e não deixe que nada atrapalhe a sua meta.

Exercícios equilibrados e moderados
Também não vale exagerar no ritmo e ter problemas com lesões. O ideal é começar com 30 minutos, duas vezes por semana, e aumentar aos poucos. Esse e o primeiro passo para adquirir o hábito.

Rotina
Se você deixa de cumprir suas metas fitness por um ou dois dias, fica difícil manter o ritmo e o resultado é a acomodação. Ou seja, não descuide da rotina e reserve sempre um horário para a prática.

Alimentação equilibrada
Não espere passar as festas de final de ano – e muito menos as férias – para começar a ter uma alimentação mais saudável e equilibrada. Procure um nutricionista e comece logo, aos poucos, sem passar fome. 

Aproveite as férias e se movimente, seja na academia, na praia ou no parque. Corra, use o peso do corpo, de preferência com orientação de um profissional da educação física. Na falta de um, alguns aplicativos podem dar uma ajudinha. Eles funcionam desde para a contagem de calorias até na execução de exercícios físicos. 

O MyFitness Pal, por exemplo, funciona como um diário da sua rotina. Já o Workout Trainer é um manual, com exercícios bem explicados, de acordo com o perfil de cada usuário. O Boa Forma, por sua vez, funciona como uma calculadora básica de calorias, inclusive para alimentos industrializados.

Outro que faz sucesso é o Medida Certa, inspirado no quadro do Fantástico, da Rede Globo. O aplicativo fornece informações referentes à alimentação que seguem os padrões da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Brasil, país de sedentários
De acordo com o Diagnóstico Nacional do Esporte, pesquisa do Ministério do Esporte divulgada em junho de 2015, o sedentarismo atinge 45,9% dos brasileiros. Os números apontam ainda que 67 milhões de pessoas não fazem atividade física ou praticam esporte.

O problema é mais comum entre as mulheres, grupo no qual o índice chega a 50,4%, enquanto entre os homens o percentual cai para 41,2%. O sedentarismo entre os jovens também foi considerado preocupante. Entre 15 e 16 anos, ele chega a 32,7% e cresce conforme a faixa etária aumenta, atingindo 40,7% entre os 25 e os 34 anos.

A ingresso no mercado de trabalho é apontada como uma das causas para o abandono dos exercícios. Segundo a pesquisa, 69,8% das pessoas afirmam que a falta de tempo para conciliar com a profissão e os estudos foi o principal motivo para deixar de lado as atividades físicas. 

Fonte: Expresso MT