Pages

domingo, 10 de fevereiro de 2019

Alto do Moura - Caruaru


Fui com um grupo de amigos para Caruaru onde a viagem seria apenas para tomar "uma", isso mesmo o que você acabou de ler, eu não bebo nada que contenha álcool mas acompanhei a turma animada até o Estado vizinho.

O que mais me animou no convite é que eu iria conhecer o Alto do Moura, um bairro na parte alta da cidade destinado a festa visto o número de bares, restaurantes, espaços para exposições, circos, e principalmente a venda do artesanato que é o forte do lugar, para quem gosta de peças artesanais dos mais variados tamanhos e cores, você esta no lugar certo.

O nosso guia turístico o Naldo natural de Caruaru, um conhecido amigo de todos, só parou o ônibus em três "bares" o último foi justamente no Alto do Moura, onde pôde tirar as fotos, mas andando de ônibus pela cidade fiquei analisando o quanto ela é rica, a cidade é um verdadeiro canteiro de obras, como: viaduto, passarelas, prédios, ruas interrompidas por construções das mais diversas etc.

Aliás a cidade em si me chamou atenção, se não era as construções, era o engarrafamento em pleno domingo, o tamanho da praça onde se realiza o São João. Outro lugar de destaque é a feira da sulanca que no domingo pela manhã não havia feira, mas pelo tamanho já dava para se ter uma noção porquê a cidade é tão rica.

sábado, 9 de fevereiro de 2019

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2019

Eu e Dona Irinéia

Foto Dallas Diego

Dona Irinéia dispensa apresentação, é hoje um ícone da cultura alagoana. Palmarina do povoado muquém é especialista em se tratando de artesanato, como ela existe outros moradores que também se destacam por suas habilidades com o barro.

Eu já tive o prazer de visitar a comunidade dos quilombolas duas vezes, e em minhas andanças, enquanto tiro fotos, vou conversando com alguns moradores, e tenho constatado que a nova geração de palmarinos nascidos no povoado Muquém não tem interesse em continuar com essa arte, é desolador. A justificativa dos jovem é que a renda com o artesanato é muito baixa e não tem visibilidade no município.

No último dia 18/11/2010 uma de suas filhas, Auricéia Nunes concorreu e ficou em 2º lugar no concurso Beleza Negra 2010 e em conversa com a própria me informou que não continuará fazendo esse tipo de trabalho já que ela ver em sua casa as dificuldades em se manter, o sonho da jovem é ser veterinária.


Fotos do meu acervo

POSTAGEM DE 2010!

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2019

Prefeitura de União dos Palmares realiza evento “Palmares”, que fará tributo aos heróis quilombolas

 
Há 325 anos o maior núcleo de resistência da escravidão das Américas, o Quilombo dos Palmares, chegava ao seu fim. Na madrugada de 06 de fevereiro de 1694, a Cerca Real de Macacos, localizada na Serra da Barriga, era invadida pelo exército colonial que deixou milhares de quilombolas mortos. 

Este ano os grupos culturais do município, com o apoio da Prefeitura, através da Secretaria de Educação e Cultura e Diretoria de Turismo, irão realizar nos dias 05 e 06 de fevereiro, uma série de atividades artísticas e culturais em homenagem aos heróis quilombolas. 

A programação conta com palestras, apresentações culturais e a tradicional vigília à Serra da Barriga na madrugada do dia 06 de fevereiro. “Esse é um momento de reflexão cultural, de refletir sobre o que representou a luta do Quilombo dos Palmares, para história do nosso país. Hoje ainda enfrentamos o preconceito de raça, gênero, religião, entre outros. Não podemos deixar que a história do Quilombo dos Palmares se apague”, disse o ativista cultural Djalma Roseno. 

Para o prefeito Areski Freitas (Kil), o evento representa o fortalecimento da cultura afro e da valorização turística do município. “A história do Quilombo dos Palmares deve ser conhecida por todas as pessoas. Somos um patrimônio histórico conhecido internacionalmente e isso faz com que aumente o fluxo de turistas na nossa cidade”, disse. 

Secom

O aldeamento principal do Quilombo dos Palmares é destruído


No dia 6 de fevereiro de 1694 o aldeamento principal do Quilombo dos Palmares foi destruído pelos homens do bandeirante Domingos Jorge Velho. Depois de mais de um século (de 1590 a 1694), estava chegando ao fim um dos símbolos da resistência à escravidão. 

Localizado em um lugar de difícil acesso, no caso, o atual município de União dos Palmares, no interior de Alagoas, o quilombo foi alvo de constantes ameaças de invasão e, ao longo de sua existência, enfrentou numerosas expedições militares enviadas pelo governo para dominá-lo.

Após várias tentativas de acordo, o governo recorreu a Domingos Jorge Velho, oferecendo-lhe armas, terras e dinheiro pelo resgate dos escravos que haviam fugido. 

A partir de então teve início o conflito que ficou conhecido como Guerra de Palmares, em que as forças do governo saíram vitoriosas, com a destruição completa do Quilombo em 1695. 

O líder Zumbi foi morto no dia 20 de novembro de 1695 em uma embosca. Sua cabeça foi cortada e exposta em praça pública, na cidade de Recife, para servir de exemplo a outros escravos.

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2019

Atitudes diárias para construir “bons alunos”


A entrada para o Ensino Médio marca um momento de transição na vida do estudante, que passa a ter mais responsabilidades para ser um “bom aluno”..

Cada adolescente possui suas individualidades e maneiras de aprender, por isso o chamado “bom aluno” não consiste em um modelo a ser seguido; é aquela pessoa que reúne uma série de características: apoio familiar, interesse em aprender, equilíbrio emocional, habilidade de conviver em um grupo social e vontade de construir novos aprendizados.

Para que o aluno tenha um bom desempenho acadêmico, o ambiente em que está inserido deve ser saudável. Além disso, os pais possuem um papel essencial: são eles os responsáveis por incentivar os filhos e comemorar suas conquistas, sendo um ponto de apoio em confiança.

Para ser um bom aluno não é necessário que o adolescente padronize seu comportamento. Basta que ele tenha atitudes e incentivos para desempenhar suas tarefas.

Primeiro, precisa ser organizado, prestar atenção nas aulas e cumprir seus deveres. Estar atento as explicações do professor é algo essencial para o bom aproveitamento escolar, já que é nesse momento que o aluno entenderá o conteúdo. Além disso, deve ser responsável, ou seja, precisa trazer o material correto das aulas previstas para o dia; entregar, no prazo, trabalhos escolares bem feitos; ter uma rotina de estudo regular; se preparar para as avaliações.
Os pais precisam incentivar essa postura. Podem envolver os filhos na rotina da casa e tarefas domésticas, perguntar o que foi aprendido na escola, valorizar, apoiar e acompanhar o tempo dedicado pelo filho aos estudos em casa, ajudá-lo a organizar sua rotina escolar, dar atenção especial à lição de casa e incentivá-lo ao estudo contínuo.

O professor é uma figura de conhecimento e autoridade, por isso o aluno deve respeitá-lo e valorizar os seus ensinamentos. Assim, se sentirá mais motivado para dar seu melhor desempenho em sala de aula. Por isso, é importante que os pais incentivem essa postura dos filhos.

Os pais não podem desautorizar ou desabonar a figura do educador em casa. É interessante que eles contem histórias sobre professores marcantes que tiveram contato na época escolar.

O aluno também precisa se mostrar interessado na aula e no conteúdo passado, fazendo perguntas pertinentes e mostrando que acompanhou o raciocínio desenvolvido pelo professor. Mesmo os mais acanhados podem ser identificados pelos educadores.

A grande contribuição dos pais para desenvolver esta característica em seus filhos é criar um ambiente caseiro onde o interesse e descoberta esteja presente. A família precisa estimular o diálogo de assuntos variados e dar chance para os filhos falarem suas opiniões sobre os mais diferentes temas.

A consciência de que o esforço do presente representará uma conquista no futuro precisa ser perceptível para o estudante. Por isso, os pais precisam mostrar a importância dos estudos para os filhos, que contribuirá para conquistas pessoas e profissionais.

Além disso, para manter uma rotina saudável e positiva, o adolescente precisa realizar outras atividades de seu interesse, fora suas obrigações. É necessário reservar momentos para lazer e diversão.

Por último, é necessário que o adolescente tenha uma rotina de sono saudável. Pois, estar descansado e bem desperto é uma condição essencial para aprender. Os pais precisam estar atentos ao sono dos filhos, para que impeçam que o cansaço faça com que eles durmam em sala de aula.

O trabalho em conjunto do estudante, da escola e da família é o combustível para que o adolescente cresça de maneira positiva e possua um bom desempenho escolar, alcançando seus sonhos. 

quinta-feira, 31 de janeiro de 2019

Confira 8 dicas para o relacionamento entre professores e alunos

A faculdade apresenta um novo mundo para os estudantes. Tudo parece diferente e realmente se mostra dessa forma. Se compararmos com o ensino médio, não apenas os conteúdos, mas também a rotina e o nível de cobrança são outros. Além disso, a relação entre professores e alunos também passa por transformações. 

Apesar de saber que as mudanças nessa nova fase serão importantes, é preciso ter consciência que um bom relacionamento com o seu professor depende muito mais de você do que dele. Para te ajudar a entrar na faculdade pronto para construir boas relações, separamos 8 dicas de como se aproximar dos seus professores durante a sua graduação. Confira. 

Como desenvolver boas relações entre professores e alunos
Ainda que a fase na trajetória de aprendizado seja diferente, as regras para uma boa relação entre professores e aluno na faculdade não são muito diferentes do que você já conhecia no ensino médio. O que você precisa fazer é aprofundar algumas boas práticas e dar os próximos passos para uma convivência proveitosa. 
 
1. Seja agradável
Parece óbvio, mas acredite: existem alunos que não fazem a menor questão de serem simpáticos ou educados. Muito pelo contrário, sempre há aqueles que viram o rosto para não ter que cumprimentar os docentes, às vezes por vergonha, às vezes por falta de educação mesmo. 

Entretanto, não importa o motivo, o fato é que quem quer contribuir para um convívio amigável entre professores e alunos precisa, no mínimo, investir em cordialidade. Esse com certeza é um pré-requisito básico para qualquer relacionamento no ambiente escolar, profissional ou social. 

Uma dica, nesse sentido, vem do portal da Universidade de Stanford, que sugere que você se apresente para o seu professor desde a primeira aula, para que um relacionamento amigável comece a ser construído já a partir desse dia. 

2. Demonstre iniciativa
Chegar à aula preparado é um diferencial. Nesse sentido, o portal IvyWise dá a dica para o estudante de ler sobre o assunto da aula além do que está proposto e compartilhar o conhecimento adquirido durante o seu aprendizado. 
 
Segundo o portal, os professores apreciam os alunos que oferecem novas perspectivas, elevam o nível de aprendizado para seus colegas e querem ajudar os outros a serem bem-sucedidos. Assim, se você quer contribuir para o bom relacionamento entre professores e alunos, busque preparar-se para as aulas e compartilhar os seus conhecimentos, fomentando um bom debate dos temas propostos. 

Além disso, é sempre útil usar criatividade nos trabalhos para se destacar dos outros estudantes. Com isso, você vai demonstrar que realmente está interessado em aprender. Pense em projetos criativos ao receber os trabalhos ou faça-os de uma maneira diferente daquela que os outros fazem. 

Esforce-se para fazer mais do que o mínimo esperado. Os professores gostam dos alunos que falam na hora certa e não somente ficam no fundo da sala de cabeça baixa. Faça perguntas inteligentes ou significativas. Demonstre que você está ouvindo o que cada professor tem a dizer – mas sem exageros, para não dar a ideia de querer estar “acima dos outros” o tempo todo. Contribua, mas também saiba ouvir. 

3. Busque ajuda
Claro que buscar conhecimento além do proposto é um diferencial, mas você não deve abrir mão de tirar suas dúvidas diretamente com o seu professor. Para o portal Universia, além de essa ser a única maneira de você aprender bem, tal atitude também pode fazer com que você desenvolva uma relação mais agradável com os professores, mostrando que está atento às aulas e que tem interesse em melhorar os seus conhecimentos. 

Embora os docentes possam parecer intimidantes durante as aulas, muitos são amigáveis ​​e abertos a interagir com seus alunos. Assim, se você tiver uma dúvida depois de uma aula ou discussão, pergunte a seu professor. 

4. Aceite sugestões
Ainda falando sobre aperfeiçoamento, uma dica de ouro apresentada pelo portal Universia é: não leve as correções para o lado pessoal. Os professores devem ensinar e você só poderá aprender com os seus erros se souber aceitá-los e mudar. 

Por isso, ouça as sugestões para melhorar o seu desempenho. Vale a pena tomar a iniciativa de refazer o trabalho, mesmo que isso não proporcione uma melhora na nota, porque essa atitude vai mudar a maneira como o professor pode estar te vendo como acadêmico. 

5. Compartilhe os seus objetivos
O especialista Lorraine Mckinney, por meio do portal da Universidade de Stanford, sugere que você fale sobre suas metas profissionais com os seus professores. Dessa forma, eles têm mais informações sobre os seus interesses, pontos fortes e fracos, suas conquistas e aspirações. 

Além disso, os seus mestres podem ter conhecimento sobre bolsas de estudo e programas acadêmicos. Dessa forma, a compreensão de seus interesses e metas permitirá que eles compartilhem seus conhecimentos com você e recomendem atividades. Tenha em mente que um bom relacionamento pode levar a estágios ou até mesmo a um novo emprego! 

6. Fale o que você pensa
Seja sincero: à medida em que você amadurece e avança na vida acadêmica, os professores passam a respeitar mais os alunos que pensam por conta própria do que aqueles que apenas repetem as informações aprendidas. Se você demonstra, em qualquer idade, ser um pensador criativo e independente, esse será um motivo de respeito. 

Falar o que vem à mente não significa ser o aluno problemático na sala de aula, e sim que você se posiciona e sabe quais são seus princípios e valores. Por isso, participe das aulas. Os professores gastam mais tempo nelas com os alunos que estão ativos e que demonstram que querem aprender. 

7. Obtenha boas notas
Ter boas notas é tão importante quanto a participação nas aulas – se não mais. Quando os alunos não estão tirando boas notas, os professores não tendem a levá-los muito a sério. Se você está tentando e não está conseguindo ficar na média ou acima da média, converse com sobre o problema e peça ajuda e orientação. 

Vale ressaltar que você precisa buscar ajuda antes do final do semestre. Converse com o professor com antecedência para poder melhorar de verdade. Se puder identificar e resolver os problemas antes da última hora, você conseguirá evitar as notas ruins. Você também parecerá mais proativo e interessado na matéria. 

8. Saiba quando ir com calma
Ser simpático com qualquer pessoa é uma tarefa imprescindível por muitos motivos. Com os seus professores a simpatia também é necessária, sobretudo se você pretende desenvolver um bom relacionamento com os membros do corpo docente. 

Entretanto, antes de começar a colocar em prática qualquer uma dessas dicas, é importante compreender que não é para ser puxa-saco! Professores não têm tempo e nem paciência para alunos desse tipo. 

Não é preciso ser a pessoa mais falante da turma, ou fazer mais perguntas do que todos os outros. Apenas tome o cuidado de contribuir às vezes e manter a positividade na sala de aula. Faça mais por você, esforce-se e aproveite por completo as oportunidades que a vida acadêmica lhe proporciona. Se você levar tudo isso em consideração, com certeza você vai se dar bem.

Fonte: G8

quinta-feira, 24 de janeiro de 2019

Prefeitura de União dos Palmares recupera recursos das UBS da Vaquejada e do Alto do Cruzeiro e habilitação para tratamento de glaucoma

Os recursos para a construção das Unidades Básicas de Saúde do conjunto Nossa Senhora das Dores (Vaquejada) e do bairro Alto do Cruzeiro, de União dos Palmares, estão garantidos.
Em viagem à Brasília, a secretária de saúde e o gerente de convênios do município, respectivamente, Geany Vergeth e Osmar Andrade, conseguiram reverter o cancelamento das obras que estava previsto pelo Governo Federal com ajuda da intervenção do deputado federal JHC ao Ministério da Saúde.
“Nunca deixaríamos de lutar pela continuidade de duas obras tão importantes como essa para o fortalecimento da qualidade da nossa saúde pública e assistência à população. Quero agradecer o apoio incondicional do deputado JHC, grande parceiro de União”, disse o prefeito Areski Freitas.
Outra conquista importante que eles trazem da capital federal é a da habilitação de serviços para atendimento integral ao Glaucoma no município. Segundo Geany, União fica habilitado pelo Seoma para ofertar tratamento aos pacientes, que vão poder pegar seus colírios pela Central de Abastecimento Farmacêutico do município.
Secom