Pages

terça-feira, 16 de abril de 2013

Um pouco do palmarino Carlos Povina Cavalcanti


Nasceu dia 14 de agosto de 1898 na cidade de União dos Palmares - Alagoas. Os estudos de humanidade foram realizados e concluídos em escola da província. Transferiu-se para a capital da Bahia, iniciando o curso jurídico. Terminou o curso com dezenove anos em 1917, graduado em direito, agora na escola de Tobias Barreto e Ruy Barbosa, a famosa Faculdade de Direito do Recife, pois permanecera na Bahia até o meio do curso. Mesmo bacharelado em direito, dedicou-se ao jornalismo militante atividade que sobremaneira marcou sua vida dando ênfase a sua vocação intelectual.

Na cidade de Salvador, a convite de um seu professor de direito civil na época senador Severino Vieira, exerceu funções de redator do diário da Bahia e, em Maceió foi redator do Jornal de Alagoas, vindo posteriormente a dirigir um "DIÁRIO" de caráter político. Também no seu Estado natal conquistou uma cadeira no poder Legislativo Estadual. Em 1922, transfere-se para a antiga capital do Brasil (Rio de Janeiro).

Nesses primeiros tempos de vida na então capital do país, Povina Cavalcanti retornou as atividades jornalísticas. Em 1931, era nomeado para a prefeitura do antigo Distrito Federal (RJ), onde foi sucessivamente advogado, procurador e após, procurador geral da municipalidade carioca. Mais tarde atingiria o cargo de consultor jurídico do antigo Estado da Guanabara, atual Estado do Rio de Janeiro.

Como jurista, escreveu em cinco volumes matéria sobre direito público e administrativo. Ainda dentro das atividades jurídicas, exerceu de 1962 a 1965 a presidência do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil. Marcou presença constante em congresso e encontros no país e no exterior, mercê de seu conhecimento literário. Foi membro da Academia Alagoana de Letras. No campo da poética, nos legou belas obras, como: "MULHER E A DANÇA", "TELHADO DE VIDRO", "HERMES FONTES", “CANDEIA DE AZEITE", "VIAGEM AO MUNDO DA POESIA", "AUSÊNCIA DA POESIA".

Carlos Povina Cavalcanti, como biógrafo, traçou o perfil do poeta JORGE DE LIMA, com a obra literária "Vida e obra de Jorge de Lima", conterrâneo, amigo e cunhado do poeta, razão pela qual pode entrar profundamente em suas intimidades particulares. Morreu no dia 04 de dezembro de 1974, na cidade do Rio de Janeiro.

Fonte: PALMARINOS ILUSTRES Série Memórias de Nossa Terra 2003
Autor: Paulo de Castro Sarmento Filho

Rua Carlos Povina Cavalvanti  - Bairro de São Conrado no Rio de Janeiro 

Alunos da Escola Municipal Lúcia Miguel Pereira de São Conrado, RJ, têm trabalho de pesquisa sobre o palmarino veja AQUI
                                Rua Carlos Povina Cavalvant - Bairro da Jatiúca em Maceió
 Rodoviária Carlos Povina Cavalcante, em União dos Palmares

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por comentar!
Continue nos visitando!