Pages

sábado, 30 de maio de 2015

quinta-feira, 28 de maio de 2015

ANP cancela autorização de 4 usinas da Laginha Agroindustrial e processo de falência segue tumultuado

A novela envolvendo as usinas do empresário alagoano e ex-deputado federal João Lyra (PSD) continua rendendo novos capítulos. Hoje (28) as usinas do grupo Laginha Agroindustrial perderam oficialmente o direito de produzir etanol, enquanto no processo judicial, que se arrasta há sete anos, representantes da massa falida e agentes do judiciário se intercalam em acusações.

O político octogenário acumula uma dívida com o negócio sucroalcooleiro estimada em mais de R$ 2 bilhões, em valores atualizados. A Laginha teve a falência decretada ainda em 2008 e o apagar das luzes do que já foi um dos mais tradicionais grupos da região segue um roteiro tumultuado.

A seguir os detalhes dos últimos acontecimentos, que envolvem o inédito cancelamento de autorizações pela ANP, o afastamento do juiz que conduzia o processo de falência e um pedido de destituição do comando da massa falida.

O texto acima é apenas uma breve introdução. Para ver esta página completa clique aqui e assine


Veja também:

Fotos da Usina Laginha antes da falência. AQUI

Convite


domingo, 24 de maio de 2015

Consulesa da França, Alexandra Loras, visita Serra da Barriga, em AL

Alexandra Baldeh Loras é uma das mais influentes personalidades francesas diplomáticas antes dos 40 anos, Referência em debates e simpósios, Alexandra está em Alagoas, como convidada do Instituto Raízes de Áfricas,  para proferir palestra na segunda-feira, 25/05 ( Dia de África), o XIX Seminário Afro tendo como tema:” Auto-Estima. Identidade e Pertencimento: O Desafio do Ser Negro.”

E dando prosseguimento  as atividades, iniciadas no último dia 22/05,  alusivas ao XIX Seminário  Afro Alagoano Ígbà Émí Wà: “O Cotidiano do Racismo Contemporâneo  e a Construção das Relações Humanas”a coordenadora do Instituto Raízes de Áfricas, Arísia Barros conduzirá a consulesa da França, em São Paulo , Alexandra Loras em  visita-conhecimento, na manhã deste domingo,24/05 à Serra da Barriga, em União dos Palmares, onde foi construído o Parque Memorial Zumbi dos Palmares.

A Serra da Barriga é um local sagrado E simboliza a luta pela liberdade.
A consulesa será recepcionada em União dos Palmares pelo secretário de Administração, Francisco Viana e equipe.

Para realização da atividade em União dos Palmares, o Instituto Raízes de Áfricas contou com a articulação de Morgana Tavares, Secretária Adjunta da Secretária de Estado do Esporte, Lazer e Juventude.

A empresa Marola produções e locações fará a cobertura fotográfica da atividade.

Sobre o Ígbà Émí Wà
A realização do XIX Seminário Afro Alagoano Ígbà Émí Wà: “O Cotidiano do Racismo Contemporâneo  e a Construção das Relações Humanas” é uma  iniciativa do Instituto Raízes de Áfricas contando com o apoio do  Governo do Estado de Alagoas,  Federação das Indústrias do Estado de Alagoas, Prefeitura de Maceió e Ministério Público Estadual, objetivando  estabelecer espaços de interlocução entre as políticas públicas e as ações de governos, de forma a ampliar  conhecimentos , possibilidades e oportunidade para  construção de caminhos de superação das desigualdades raciais.

A palestra acontece na Segunda-feira, 25/05 às 9h30, entrada gratuita. Inscrição pode ser feita no local, com certificação de 10h. Vagas limitadas.
O local de realização é o  Auditório Aqualtune, do Palácio República dos Palmares, Rua Cincinato Pinto, s/n,Centro,Maceió,AL. 

Informações:8827-3656/3231-4201
Crédito: Arísia Barros

sexta-feira, 22 de maio de 2015

O incompetente e suas vítimas A culpa não é do professor, mas dos líderes políticos!

O incompetente precisa de vítimas que lhe doem as secreções: sangue, suor e lágrimas. Eu tinha uma chefe incompetente que me fazia trabalhar por ela sob a pressão de me tirar da função, de forma que se fracassasse, a culpa seria sempre minha.

Todo líder incompetente, no pouco que faz, aplica todo rigor das regras e tradição, desconhecendo a misericórdia, não se importando com o sofrimento do outro, para compensar sua insegurança e deficiência ou ainda para desviar os olhares dos outros da real causa do problema dele. Para ele é difícil o equilíbrio, pois só pensa nele mesmo, Certo de que não merece a admiração dos que sabem agir com equidade, então explora os outros, como se soubesse explorar rumo ao objetivo comum. Ele precisa vitimar alguém, descarregando sua culpa, e, só assim, sobressair-se como o “poderoso chefão”.

A incompetência é doença, um mal que precisa ser corrigido na educação pública brasileira. Que bom, sou simplesmente vítima, melhor que ser um desviado de função! Infelizmente quem brinca com porcos há de sai enlameado, se antes não for devorado por eles!

Como entender este fenômeno: todo professor fez um curso superior, portanto é alguém que estudou e se preparou, e ele está credenciado a ensinar. Deveria ser a pessoa mais importante da unidade escolar, porém é o subalterno de todo mundo! E se submete ao descambar da carruagem rumo ao caos, e ainda se dar ao luxo de reclamar em vão do sistema, assumindo a culpar por o fracasso, também, de seus alunos. Quando o paciente do médico morre, a culpa é dele, pois não seguiu as recomendações médicas. 

Quando o advogado perde a causa, a culpa é do cliente que escondeu informações, provas e testemunhos importantes. Quando o pastor evangélico não cura seu enfermo, a culpa é do doente que não exerceu fé suficiente. Então a culpa é do aluno alienado que não conhece nem mesmo o poder que tem e não saber usá-lo para o bem. Se ao menos eles vissem que a culpa não é do professor, mas dos líderes políticos que gostam dos “enviseirados”, talvez não dispersassem esforços batendo em professor, seguindo o exemplo dos combatedores de manifestantes!

(Claudeci Ferreira de Andrade, pós-graduado em Língua Portuguesa, licenciado em Letras, bacharel em Teologia, professor de filosofia, gramática e redação em Senador Canedo, funcionário público)

terça-feira, 19 de maio de 2015

FARINHA POUCA, MEU PIRÃO PRIMEIRO

Padre Iran Junior
Kleber Marques
Luiz Modas
João Igor
Mario Sérgio

As fotos acima foram tiradas por mim e divulgadas no Blog A Terra da Liberdade, idealizado por Franco Maciel. Durante os 3 anos em que ficou no ar era um dos mais acessados e suas postagem repercutiam nos programas de rádios e redes sociais.

Vendo as fotos que os "personagens" Padre Iran Junior, Kleber Marques, Luiz Modas, João Igor, Mario Sérgio e tantas outras pessoas fotografadas podemos ter uma ideia de como algumas paisagens foram mudadas em União dos Palmares. Por exemplo, nas imagens do radialista Kleber Marques a Praça Benon Maia Gomes (entrada da Rua do Jatobá) e a Escola Santa Maria Madalena não existem mais.

Assim também vemos diferenças nas fotos do estudante João Igor na Praça Antenor Uchoa, hoje totalmente acabada por um número cada vez maior de comerciantes e ambulantes. Nos dias de feira a praça vira um estacionamento de motos.

Nosso atual pároco é José Clerinaldo, acima o vemos vestido a camisa do blog do Padre Iran Junior. No prédio da antiga Loja Mana Tecidos, onde o comunicador Mario Sérgio posou para as fotos hoje é a Loja Terno.Com.

É natural para a Geografia que os espaços geográficos sejam constantemente modificados pela sociedade ou pela própria natureza, como foi o que aconteceu em 18 de junho de 2010 com a última enchente que acabou com diversas ruas aqui no município e por isso surgiu outras em lugares diferentes.

Porém, é triste ver o empobrecimento dos palmarinos em diversos aspectos da sociedade. Muitos que viajam para os Estados de Minas Gerais e Goiás para alimentar suas famílias que residem aqui em União.

Os que têm os papéis e canetas nas mãos só pensam "FARINHA POUCA, MEU PIRÃO PRIMEIRO" e não vemos expectativas para anos melhores. Não temos notícias de criação de empregos, mas somos bombardeados por assaltos, assassinatos, falta de médicos/remédios e etc.

Esses dias li em uma rede social de um aluno palmarino "a máquina do desemprego é fábrica criminosa". A frase me deixou triste e me fez pensar o quanto é triste a situação desses jovens sem nenhuma perspectiva em sua própria terra.

Até quando?

O Fórum Nacional de Conselhos Estaduais de Educação já tem local e data definidos

O evento vai acontecer no Hotel Hitz, Lagoa da Anta, Maceió/AL, nos dia 6 a 9 de junho de 2015, conforme programação anexa.

Alagoas foi escolhido para sediar o Fórum Nacional de Conselhos Estaduais de Educação – FNCE em setembro do ano passado, quando o Presidente do CEE/AL, Jairo José Campos da Costa, participou do último FNCE em Macapá – AP.  Ao aceitar sediar o evento, à época, o Presidente afirmou em redes sociais, sua alegria em aceitar o desafio, afirmando que “é preciso brindar Alagoas com as discussões sobre educação de altíssimo nível como a que é travada no Fórum”.

A programação do evento conta com momentos de integração e farão visita ao Parque Memorial Quilombo dos Palmares, na Serra da Barriga, em União dos Palmares-AL. 

A XLIV plenária do Fórum Nacional dos Conselhos Estaduais de Educação
Duas novidades serão implementadas nessa edição, a construção de uma Carta do FNCE à sociedade civil brasileira, bem como a publicação de relatos de experiência de cada Conselho através da publicação de artigos científicos, politizando e academicizando a estrutura organizacional do FNCE.  (Acesse aqui e conheça os procedimentos para proceder com a inscrição)

Dessa forma, cada Conselho Estadual selecionará uma produção que será socializada durante a realização do XLIV FNCE e terá sua disponibilização em mídia digital com ISSN.

Texto: Edvaldo Neneu da Silva

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Emoção marca celebração do Dia das Mães na Escola Municipal Dr. Antonio Gomes de Barros



O Dia das Mães Especial, da Escola Municipal Dr. Antonio Gomes de Barros, foi comemorado hoje, 15 de maio, com as mães dos alunos da escola que fica localizada no distrito de Rocha Cavalcante, zona rural do município de União dos Palmares. O evento reuniu a equipe gestora, professores, funcionários de apoio e as responsáveis dos alunados dos três horários da instituição. 

A programação elaborada pela coordenação e pelos próprios alunos priorizaram realizar atividades que enaltecessem o melhor que cada mãe tem em suas vidas, que são seus filhos, sua família. A cada exibição de vídeos (do 1º ao 5º anos), recitais de poemas (6º ao 7º anos), ou canções (8º ao 9º anos) ouvidas, as emoções eram postas pra fora. 

Nos depoimentos, mães, avós, tias, madrinhas iam relatando histórias de suas vidas, de suas famílias e de alguns objetos que foram levados por elas e seus significados em suas vidas. Choros, abraços, risadas e aplausos foram algumas das reações vistas nos rostos das matriarcas que participaram das dinâmicas da Antonio Gomes de Barros, que incluiu exercícios, comidas, bebidas e prêmios. 

O momento também foi importante para que as mães conhecessem todos os espaços / ambientes da escola, do ginásio ao auditório, e que pudessem conversar com professores e diretores. 

A festa foi mais um exemplo que, a união DE TODOS, faz a diferença; seja no auxílio de uma informação, servindo alimentos, ou no mutirão da limpeza ao termino do evento. (onde cada um fez algo varrendo, juntando os lixos, lavando pratos, recolhendo cadeiras). 

Parabéns a todos os envolvidos. 

E que venha o Dia das Mães Especial 2016!